terça-feira, 22 de maio de 2012

Affordance


Affordance traduz-se assim: Atributos de um objecto que indiciam a um utilizador inexperiente a forma de o usar.

Na concepção deste puxador, o designer Tommaso Gecchelin baseou-se numa affordance óbvia: uma face plana significa “empurrar”, uma face não plana significa “não empurrar” ou seja “talvez puxar”.

A relação entre os atributos do objecto a forma de o utilizarmos nem sempre é assim tão óbvia, no entanto a simplicidade deste conceito torna-o particularmente interessante.

Artigo completo na Yanko Design.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Princípios de Design pelo governo de Sua Majestade


O governo inglês não só sabe o que é Design, como faz questão de o dizer ao mundo através do seu site oficial.

Os “Government Digital Service Design Principles” enunciados aqui, não são apenas a descrição dos princípios que governam o governo na criação dos seus serviços digitais, são uma lição para designers (e governos, já agora).

Excelente, ver aqui.

Bem vindos à Era do Design

Assim escreveu Adam Swann da Gyro, para a Forbes:

“All businesses, no matter what they make or sell, should recognize the power and financial value of good Design.”
O artigo inclui bocas à “elite esquisita” e ao Sr. Philippe Starck, apresenta outra vez a Apple como a epítome da “Design-led organization”, e recorre aos lugares comuns do costume.
Está tudo muito certo, sempre é um artigo de Design para o universo de leitores da Forbes de onde constam os maiores e os que querem ser, todavia questiono porque é que estando nós a viver a “Era do Design” se continuam a utilizar sempre os mesmos exemplos.


Artigo completo aqui.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Problemas de negócios? Chamem os designers.


Assim escreveu a Sra. Melissa Quinn para a FastCoDesign:

“Este ano assinala o terceiro aniversário do Rotman Design Challenge. Tudo começou como uma experiência única, organizada pelo Business Design Club da Universidade de Toronto para expor aos alunos do Master of Business Administration (MBA) da mesma escola o valor dos métodos de Design na resolução de problemas de negócios.

Este ano, a competição juntou equipas de outras escolas de MBA e também de algumas das melhores escolas de Design na América. Como júri da ronda final, eu tive oportunidade de ver em primeira mão as cinco melhores soluções ao desafio da competição: ajudar o TD Bank a fomentar relacionamentos vitalícios com os clientes estudantes e recém-licenciados, incentivando-os a ter comportamentos financeiros saudáveis.

Neste ano e no ano passado - os dois anos em que a Rotman convidou outras escolas a participar – os alunos das escolas de negócios foram arrasados pelos estudantes das escolas de Design. Das 12 equipas de Rotman deste ano, nenhuma delas chegou sequer à final. E enquanto apenas sete das 23 equipas concorrentes eram de cursos de Design (California College of Arts, Ontario College of Art and Design, e Universidade de Cincinnati), conquistaram os três primeiros lugares da competição, destruindo completamente os estudantes de MBA.

O que é que isto quer dizer?”

Não sei, mas colocar Designers contra Gestores (ou lá o que são os MBA's) não é de todo um bom caminho.
Em teoria, um estudante de MBA pode ter qualquer background, Design incluído.
Eu ainda acredito na multidisciplinaridade.
Ainda assim, gostei de ler.

Artigo completo na FastCoDesign.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Roubar como um artista


Resumidamente a ideia do autor, Austin Kleon é esta:

À excepção de Milo, o seu cão, qualquer pessoa pode ser criativa desde que se rodeie das coisas certas, isto porque nós somos uma “mashup” das coisas que vemos.

Tenho duas coisas a dizer: Não encontro um tradução decente para “mashup” e acho que há gente com menos criatividade que o cão do autor. De resto concordo em pleno.

How to Steal like an Artist em Monkeedesign.

É um livro? É um curso?


Mais um livro para o designer empreendedor.
Aliás, não é um livro, é um curso completo de Desenvolvimento de Produto.

“Como é que as empresas mais criativas e com mais sucesso do mundo encaram o desenvolvimento de produto? Segundo o autor, Andrea Belz, com uma “inovação disciplinada e implacável”.

Chapter 1. Ideation: Sources for New Product Ideas
 Chapter 2. Strategy: "If You Don't Know Where You're Going, You Might Not Get There"
 Chapter 3. Value Propositions: You Buy The Holes, Not the Drill
 Chapter 4. Finance: "I Will Gladly Pay You Tuesday For a Hamburger Today"
 Chapter 5. Intellectual Property: The Best Defense Is a Good Offense
 Chapter 6. Milestones: Ready, Get Set, Go/No Go!
 Chapter 7. Marketing: Why Build a Mousetrap If People Don't Have Mice?
 Chapter 8. Organization: Are You Dilbert?
 Chapter 9. Design: Click Where?
 Chapter 10. Engineering And Distribution: Getting the Job Done
 Chapter 11. Product Launch: The End Is the Beginning
 Chapter 12. Summary: Competing Today

Mais no Google Books

domingo, 8 de abril de 2012

Concurso IF Design Talents aka IF Concept Design Award


O concurso IF Design Talents,também conhecido como IF Concept Design Award, organizado pelos senhores do International Forum Design é talvez o concurso internacional de Design mais importante para estudantes e recém-licenciados.
A alguns dias da decisão final do júri (estava marcada para 1 de Abril), o media partner oficial Yanko Design divulgou aqui a sua própria selecção de 50 propostas.

Desta lista constam alguns casos sérios de resolução inteligente de problemas.

50 Shortlisted iF Design Talents 2012 Entries em Yanko Design
Site oficial dos IF Design Talents

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Startups, é assim que funciona o Design


Wells Riley, finalista de um curso de Design, decide dizer ao mundo e em particular às empresas em arranque o que é o Design e para que serve. A meu ver fá-lo muito bem.

Dava jeito um manifesto destes em português, dirigido às nossas startups, e já agora, às outras também (endups?).

Ver aqui.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Não brainstormem, discutam!

Antes de ler isto, convém saber isto.

Já aqui se tinha falado da suposta falácia do brainstorming.
Os senhores da Continuum (que também já foram para
aqui chamados anteriormente) sustentam agora que a argumentação e a discussão acesa, a que chamam “discurso deliberativo” são a melhor forma de fazer nascer boas ideias.

As regras são simples: É permitido criticar, não há hierarquia (ninguém ganha), o grupo trabalha para um objectivo comum (suponho que não se discute a propriedade das ideias).
São bem capazes de ter razão.
Artigo completo na FastCo.

Frog FZ 750


Quem gosta de motos e Design achará interessante saber que em 1986 Hartmut Esslinger (da Frog Design) redesenhou uma Yamaha FZ 750 à qual chamou convenientemente "Frog FZ 750". Hoje, a Frog FZ 750 é ridiculamente plástica e volumosa face à magreza das motos actuais, mas nos early eighties, a estética futurística deste protótipo surpreendeu e inspirou outros fabricantes, veja-se a BMW K1 por exemplo.
Faz parte da colecção do SFMOMA (San Francisco Museum of Modern Art).

História completa aqui.